Loxodrómia! A hélice esférica


Utilizada em navegação terrestre, a espiral loxodrómica, conhecida também por hélice esférica, faz à superfície da Terra um ângulo constante em todos os meridianos. Ela tem tendência para enrolar tal como uma cobra gigante à volta da Terra, espiralando em redor dos polos sem os alcançar.

Uma das formas de circum-navegação é tentar percorrer o caminho mais curto entre pontos, isto é, ao longo de um arco de um grande círculo em redor da Terra. No entanto, mesmo se for um caminho mais curto, um navegador pode, de forma continuada, fazer ajustamentos ao percurso com base em leituras da bússola, em tarefa praticamente impossível para os primeiros navegadores.

Por outro lado, um trajeto loxodrómico permite que os navegadores dirijam a embarcação, de forma continuada, para o mesmo ponto da bússola mesmo se o trajeto para o destino for mais comprido. Uma loxodrómia é representada como uma linha reta num mapa da projeção Mercator.

A loxodrómia foi inventada pelo matemático e geógrafo português Pedro Nunes, que viveu em uma época em que a Inquisição espalhava o medo no coração da Europa

Alguns grupos de muçulmanos na América do Norte utilizam a linha loxodrômica para Meca (em direção a sudeste) como a sua qibla (direção das orações) em vez de usarem o caminho mais curto tradicional. Em 2006, a Agência Espacial Nacional Malaia (MYNASA) patrocinou uma conferência para calcular adequadamente o qibla dos muçulmanos, em órbita.

Instituto de Ciências e

Matemática

© 2023 por Cientista. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey